PSIDE1

Solve your problems or get new ideas with basic brainstorming

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
PSIDE1 by Mind Map: PSIDE1

1. do andar bípede ao gênero Homo

1.1. bípedismo

1.1.1. importância

1.1.1.1. adaptação às savanas

1.1.1.2. vigília contra a ação de predadores

1.1.1.3. aumento da eficiência locomotora

1.1.1.4. liberação das mãos para o transporte de alimentos ou da prole

1.2. espécies de australopitecos

1.2.1. anatomia

1.2.1.1. cérebro pequeno igual ao do macaco

1.2.1.2. corpo pequeno

1.2.1.3. machos e fêmeas eram prognatas

1.2.1.4. curvatura nas falanges

1.2.1.5. 1 milhão de anos sem muitas mudanças

1.2.2. afarensis

1.2.3. garhi

2. Textos

2.1. Enquadramento da psicologia do desenvolvimento

2.1.1. Ideias chave

2.1.1.1. A psicologia do desenvolvimento estuda a forma como nos desenvolvemos ao longo do ciclo de vida, da fecundação à morte

2.1.1.2. Ideia errada que o desenvolvimento terminava na idade adulta

2.1.1.3. A infância foi uma área privilegiada de estudos e onde surgiram muitas teorias

2.1.1.4. Os adultos também se desenvolvem

2.1.1.5. As investigações se preocupam com as diferenças biológicas, sociais e psicológicas

2.1.1.6. O envelhecimento começa com a vida

2.1.1.7. Corpo evolui, vida efetiva transforma-se, estatuto social muda

2.1.1.8. A PSIDE centra-se nas mudanças ao longo da vida

2.1.1.9. Mudanças

2.1.1.9.1. Qualitativas

2.1.1.9.2. Quantitativas

2.1.1.10. Psicologia do desenvolvimento ou estudo da génese e a evolução dos processos psicológicos

2.1.1.10.1. estuda a infância

2.1.1.10.2. estuda a adolescência

2.1.1.10.3. desde sec.XIX o estudo é contínuo (criança - adolescência)

2.1.1.10.4. "atualmente" o estudo começa no período de vida intra-uterino até ao final de vida

2.1.1.11. Desenvolvimento infantil

2.1.1.11.1. atenção da família centrada na criança

2.1.1.11.2. círculos científicos centrados na criança

2.1.1.11.3. atenção dos media

2.1.1.11.4. ganha estatuto (definição de uma estratégia educativa estatal e à massificação do ensino elementar)

2.1.1.12. Autores

2.1.1.12.1. Ariés

2.1.1.12.2. Hopkins

2.1.1.12.3. Locke

2.1.1.12.4. Rousseau

2.1.1.12.5. Candeias

2.1.1.12.6. Darwin

2.1.1.12.7. Gesell e Piaget

2.1.1.12.8. Lautrey

2.1.1.12.9. Young

2.1.1.12.10. Paul Baltes

2.1.1.13. "Evolução" histórica

2.1.1.13.1. SÉC.XIII

2.1.1.13.2. SÉC. XVII e XVIII

2.1.1.13.3. SÉC. XIX

2.1.1.13.4. 1890

2.1.1.13.5. SÉC. XX

2.1.1.14. Cultura

2.1.1.14.1. infância

2.1.1.14.2. adolescência

2.1.1.14.3. adulto

2.1.1.15. A infância e a adolescência, marcadas por grandes alterações biológicas e psicológicas, permaneceram durante muito tempo como os únicos grupos de estudo na psicologia do desenvolvimento.

2.1.1.16. Velhice

2.1.1.16.1. distancia-se as conceções tradicionais (degradação psicobiológicas)

2.1.1.16.2. enquanto existir capacidade de adaptação há mudança e desenvolvimento

2.1.1.17. O conceito de desenvolvimento é cada vez mais amplo e flexível, sendo objeto de estudo de várias áreas

2.1.1.18. Métodos e técnicas de investigação

2.1.1.18.1. transculturais

2.1.1.18.2. estudos descritivos

2.1.1.18.3. estudos comparativos

2.1.1.18.4. investigação experimental

2.1.1.19. Dois tipos (+1) de estudos em PSIDE

2.1.1.19.1. estudos longitudinais

2.1.1.19.2. estudos transversais

2.1.1.19.3. estudos sequenciais

2.1.1.20. Os processos que produzem [as] mudanças, os processos pelos quais os seres humanos se desenvolvem através do tempo, constituem o objeto de estudo da PSIDE

2.1.1.21. As perguntas a que os cientistas do desenvolvimento tentam res-ponder, os métodos que utilizam e as explicações que propõem não são hoje as mesmas que eram sequer há 20 anos.

2.1.1.22. Os avanços nas neurociências e nas técnicas de imagiologia cerebral têm tornado possível olhar de outra forma para os mistérios da mente humana.

2.1.1.23. Os aspetos motores, cognitivos, emocionais, sociais estão interligados

2.1.1.24. Cada pessoa é um indivíduo distinto

2.1.1.25. As pessoas ajudam a moldar o seu próprio desenvolvimento e influenciam o comportamento dos outros em relação a elas.

2.1.1.26. Os contextos histórico e cultural influenciam fortemente o desenvolvimento

2.1.1.27. A experiência inicial é importante, mas as pessoas podem ser resilientes

2.1.1.27.1. crescer na miséria ou a morte de um progenitor, podem ser superadas.

2.1.1.28. O desenvolvimento desenrola-se por toda a vida

2.1.1.29. O estudo científico do desenvolvimento humano baseia-se na crença de que o conhecimento é útil [(a perder significado)]

2.1.1.29.1. investigação básica

2.1.1.29.2. investigação aplicada

2.1.1.30. Análise do filme "o menino selvagem"

2.1.2. Bebé sorri para a mãe

2.1.3. Criança 3 anos compreende

2.1.4. Criança 6 anos brinca e inventa regras

2.1.5. Criança 8 a 10 anos memoriza

2.1.6. Adolescente resolve

2.1.7. ADULTO

2.1.7.1. 30 ANOS poder de optar

2.1.7.2. ~40 ANOS poder de resolver

2.1.7.3. ~60 ANOS poder de decisão

2.1.7.4. abandona-se a ideia da imutabilidade

2.1.8. Áreas necessárias para o estudo do desenvolvimento humano

2.1.8.1. sociologia

2.1.8.2. antropologia

2.1.8.3. biologia

2.1.8.4. genética

2.1.8.5. educação

2.1.8.6. história

2.1.8.7. filosofia

2.1.8.8. medicina

2.2. A natureza do desenvolvimento humano

2.2.1. ideias chave

2.2.1.1. O Homem é uma das raras espécies animais que matam o seu semelhante de forma deliberada

2.2.1.2. reconhecemos como semelhantes, como membros de uma mesma espécie definida por caracteres estáveis

2.2.1.3. Os homens não são idênticos, mas assemelham-se muito

2.2.1.4. Quem sou eu?

2.2.1.4.1. conjunto de células organizadas em ossos e em músculos, em pele e cabelo, num cérebro, fígado e outros órgãos

2.2.1.4.2. algumas células especializadas tornam possível outro aspeto do comportamento e dos processos mentais

2.2.1.4.3. interpretamos e construímos significados

2.2.1.4.4. podemos pensar e tomar decisões

2.2.1.4.5. compreender o significado das palavras

2.2.1.4.6. estamos munidos de um pensamento lógico

2.2.1.4.7. temos emoções e sentimentos e são difícieis de gerir

2.2.1.4.8. os sentimentos influenciam o nosso comportamento

2.2.1.4.9. Temos a nossa própria identidade, capacidades, valores, atitudes, crenças

2.2.1.4.10. somos indivíduos num mundo social

2.2.1.4.11. Nenhuma definição de Homem estará completa sem referência à forma como as pessoas pensam e se relacionam umas com as outras.

2.2.1.4.12. A complexidade dos seres humanos manifesta-se numa certa liberdade de reação que dá lugar a comportamentos novosA complexidade dos seres humanos manifesta-se numa certa liberdade de reação que dá lugar a comportamentos novos.

2.2.1.4.13. há diferenças

2.2.1.4.14. A complexidade dos seres humanos manifesta-se numa certa liberdade de reação que dá lugar a comportamentos novos.

2.2.1.4.15. beneficiamos de um incomparável privilégio, o poder praticamente ilimitado de aprender

2.2.1.4.16. Devido à linguagem e à escrita, o homem criou uma memória exterior a si próprio e capaz de lhe sobreviver.

2.2.1.5. Autores

2.2.1.5.1. Sartre

2.2.1.5.2. Piaget

2.2.1.6. Modelos teóricos

2.2.1.6.1. dicotomia

2.2.1.6.2. variáveis

2.2.1.7. Identidade

2.2.1.7.1. representa uma continuidade

2.2.1.7.2. representa uma fidelidade

2.2.1.7.3. representa uma consistência e coerência no modo de ser e estar

2.2.1.7.4. não é estático mas sim dinâmico

2.2.1.7.5. constrói-se ao longo da vida

2.2.1.8. Estádios

2.2.1.8.1. em grupo: as operações cognitivas são semelhantes

2.2.1.8.2. cognitivo-desenvolvimentalista

2.2.1.8.3. coerente e internamente consistente

2.2.1.8.4. qualitativamente diferentes

2.2.1.8.5. as mudanças de um estádio para outro constituem transformações

2.2.1.8.6. são sequenciais

2.2.1.8.7. impossível ocorrer uma regressão estrutural

2.2.1.8.8. representam diferentes domínios de processamento humano

2.2.1.8.9. depende do processo de interação

3. Artigos

3.1. Dessen, M. & Guedea, M. (2005)

3.1.1. Ciência do Desenvolvimento

3.1.1.1. áreas

3.1.1.1.1. social

3.1.1.1.2. psicológica

3.1.1.1.3. biocomportamental

3.1.1.2. focaliza a ontogênese

3.1.1.2.1. tempo

3.1.1.2.2. espaço

3.1.1.2.3. mudanças

3.1.2. Autores

3.1.2.1. Magnusson e Cairns

3.1.2.1.1. 1- a pessoa se desenvolve de forma integrada (ontogenia)

3.1.2.1.2. 2- a pessoa se desenvolve de forma dinâmica e contínua (interação - meio - relação)

3.1.2.1.3. 3- a pessoa se desenvolve de forma recíproca de interação entre subsistemas da própria pessoa

3.1.2.1.4. 4- novos padrões de funcionamento individual surgem durante a ontogenia

3.1.2.1.5. 5- variações no desenvolvimento (acelerado ou retardado)

3.1.2.1.6. 6- o funcionamento psicológico funciona de forma hierárquica e a partir de sistemas dinâmicos

3.1.2.1.7. 7- as continuidades e mudanças no desenvolvimento resultam de pressões de forças internas e externas ao organismo

3.1.2.2. Shanahan, Valsiner e Gottlieb

3.1.2.2.1. estrutura

3.1.2.2.2. temporalidade

3.1.2.2.3. mudança

3.1.2.2.4. padrões de mudança

3.1.2.2.5. critérios intelectuais e sociais

3.1.2.2.6. focam o conceito de experiência e, podem ser;

3.1.2.3. Valsiner & Connolly

3.1.2.3.1. Embora o conceito de desenvolvimento esteja ligado à mudança, nem toda mudança é considerada desenvolvimento

3.1.2.4. Gottlieb

3.1.2.4.1. epigênese probabilística do desenvolvimento

3.1.3. Ideias chave

3.1.3.1. compreender a complexidade do desenvolvimento humano é necessário adotar uma perspectiva sistêmica que seja capaz de integrar os múltiplos subsistemas do individuo

3.1.3.1.1. curso de vida (4 princípios paradigmáticos)

3.1.3.2. contribuição das disciplinas

3.1.3.2.1. biologia

3.1.3.2.2. psicologia do desenvolvimento

3.1.3.2.3. fisiologia

3.1.3.2.4. neuropsicologia

3.1.3.2.5. psicologia social

3.1.3.2.6. sociologia

3.1.3.2.7. antropologia

3.1.3.3. A noção epigenética propõe que o desenvolvimento se caracteriza por um aumento na complexidade da organização em todos os níveis hierárquicos

3.1.3.4. Mudanças e Continuidades no Processo de Desenvolvimento

3.1.3.4.1. mudanças

3.1.3.4.2. continuidades

3.1.3.4.3. três mecanismos

3.1.3.5. compreender o desenvolvimento humano, é preciso considerar a emergência e a evolução do indivíduo, em seus diferentes aspectos interligados

3.1.3.5.1. biológicos

3.1.3.5.2. psicológicos

3.1.3.5.3. sociais

3.1.3.5.4. culturais

3.1.3.5.5. históricos

3.1.3.6. importância de se considerar a influência dos fatores ambientais no desenvolvimento

3.1.3.7. Cultura e desenvolvimento humano

3.1.3.7.1. 4 categorias de cultura

3.1.3.7.2. "nicho de desenvolvimento"

3.2. Andrade, L.; Silva, E. & Passos, E. (2007)

3.2.1. devir e o inacabamento biológico e histórico do ser humano

3.2.1.1. do gênero Homo ao Homo sapiens

3.2.1.1.1. artefatos

3.2.1.1.2. características anatômicas

3.2.1.2. do Homo sapiens ao vir a ser humano

3.2.1.2.1. o humano do ser humano é mais o resultado de um devir do que o apogeu de um acabamento biológico

3.2.1.2.2. o aperfeiçoamento da linguagem produziu a cultura

3.2.1.2.3. Homo ferus

3.3. Sifuentes, T.; Dessen, M. & Oliveira, M. (2007)

3.3.1. Ciência do Desenvolvimento

3.3.1.1. surge no SÉC. XX

3.3.1.2. desenvolvimento humano

3.3.1.2.1. processo de construção contínua

3.3.1.2.2. ao longo da vida

3.3.1.2.3. organização complexa e hierarquizada

3.3.1.2.4. devido à sua abrangência e complexidade, tem sido abordado uma noção epigenética e probabilística

3.3.1.2.5. vínculo ao tempo, contexto e processo

3.3.1.2.6. relação de bidirecionalidade

3.3.1.2.7. as mudanças são interdependentes

3.3.1.2.8. as interações sociais levam a pessoa ao constante organizar-se e reorganizar-se

3.3.1.2.9. cada etapa gera a possibilidade da próxima, em uma relação probabilística

3.3.1.2.10. as escolhas do indivíduo são feitas dentro de certos padrões e limites, condicionadas pelos processos de construção sócio-históricos

3.3.1.2.11. os estágios são vistos como representações e como fatos sociais e psicológicos, cujas características dependem do contexto ao qual se referem

3.3.1.2.12. A complexidade do fenômeno de desenvolvimento humano requer a integração de diferentes campos de saberes.

3.3.1.3. modelo bioecológico

3.3.1.4. ideias chave

3.3.1.4.1. a pessoa encontra-se integrada e em relação, a partir de sistemas organizados

3.3.1.4.2. três condições essenciais dos sistemas dinâmicos

3.3.1.4.3. as experiências e condutas regulam e direcionam o desenvolvimento humano para certas trajetórias probabilísticas, em um processo de construção e negociação contínuo entre indíviduo-indivíduo e indivíduo-ambiente

3.3.1.4.4. níveis

3.3.1.4.5. o processo de desenvolvimento do indivíduo não é linear

3.3.1.4.6. o desenvolvimento não é igual entre pessoas diferentes

3.3.1.4.7. não se tem um estágio final pré-definido que todos venham a potencialmente atingir

3.3.1.4.8. epigênese

3.3.1.4.9. Para a compreensão do desenvolvimento humano, tanto a mudança quanto a estabilidade são centrais e devem ser consideradas em uma relação dialética e de equilíbrio dinâmico.

3.3.1.4.10. estágio

3.3.1.4.11. relações estágio-transição, estabilidade-mudança, caracterizam, em última análise, o desenvolvimento humano

3.3.1.4.12. Modelo Bioecológico

3.3.1.5. A visão da ciência do desenvolvimento não é retrospectiva, mas prospectiva

3.3.1.5.1. desenvolvimento normal

3.3.1.5.2. Ao caracterizar-se como prospectiva, a ciência do desenvolvimento concebe o desenvolvimento como um processo aberto, probabilístico e epigenético

3.3.1.5.3. recorre à perspectiva do curso de vida

3.3.1.5.4. o estudo do desenvolvimento requer que consideremos sua estrutura, temporalidade e processos de mudança que acontecem mediante as relações entre as forças de coação