Resultados Pesquisa Voluntariado 2019

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Resultados Pesquisa Voluntariado 2019 por Mind Map: Resultados Pesquisa Voluntariado 2019

1. Perfis de voluntários

1.1. Especialistas

1.1.1. Hanna

1.1.1.1. Querem ajudar, mas sem se expor, não querem se envolver na política

1.1.2. André (Gabinetona)

1.1.2.1. fazem um trabalho específico/técnico pontual por alguns dias e depois não continua apoiando. Ex: artista q grava um jingle da campanha

1.1.2.2. Esses não dão muito trabalho

1.1.3. Tem habilidades técnicas específicas

1.2. Apoiadores virtuais

1.3. Voluntários corpo-a-corpo

1.3.1. Hanna

1.4. Voluntários "permanentes"

1.4.1. André (gabinetona)

1.4.1.1. Acompanha toda a campanha. Nem sempre senti um pertencimento à campanha. As vezes quer só estar perto, não necessariamente trabalhar de verdade.

1.4.1.2. esse é o que dá mais trabalho

1.5. Voluntários parte do time

1.5.1. André (Gabinetona)

1.5.1.1. 15 a 20 pessoas são chamados de voluntários por serem não-remunerados

1.5.1.2. Não dão trabalho de engajamento, o desafio é o normal de gerir qualquer equipe

2. Problemas e Soluções

2.1. Desafios

2.1.1. 1- Gente na equipe que não acredita na importância do voluntariado e quer só aproveitar mão-de-obra de graça

2.1.2. 2- Lidar com a dependência da entrega e da qualidade do trabalho dos voluntários (não são pagos e nem 100% dedicados)

2.1.3. 3- Saber identificar os diferentes perfis de voluntários e gerenciá-los de formas diferentes

2.1.4. 4- Como usar os voluntários para aumentar o alcance de pautas online ou mobilizações de rua, fazendo elas conhecerem as pautas e fazendo elas se sentirem bem, como um sentido de pertencimento.

2.1.4.1. Ale Parra - "Como aproveitar todo o volume de gente disposta a ajudar sendo que tem uma equipe muito pequena de campanha pra coordenar todo esse volume de gente."

2.1.5. 5- Lidar com a papelada: cada pessoa assina um termo de doação de trabalho em papel e depois eles tem que subir num sistema do TSE

2.1.6. Desafios menores (André)

2.1.6.1. 6- Mapear onde mora cada voluntário pra saber onde podem apoiar melhor

2.1.6.2. 7- Em campanhas coletivas, saber quais pautas interessam a cada voluntário pra direcioná-los melhor

2.1.7. 8- Pessoas difíceis de lidar

2.1.8. 9- Organizar os dados / saber com quem falar

2.1.9. Causas de problemas (Daniel - Atados)

2.1.9.1. 10- Falta de planejamento

2.1.9.2. 11- Falta de organização/processos

2.1.9.3. 12- Criam vagas (quando criam) muito amplas e sem muita definição

2.2. Recomendações

2.2.1. 2- (dependência da entrega e qualidade)

2.2.1.1. 2- Dividir os voluntários em grupos de trabalhos temáticos, assim se um não pode entregar, o outro entrega

2.2.1.2. 2- Alinhar expectativas antes de começar, pra ver se consegue entregar

2.2.1.3. 2- Se for trabalho de mais responsabilidade/especialização, tem que fazer um processo seletivo. É importante deixar claro que é uma seleção para voluntários. Só por ter seleção já cria um filtro.

2.2.1.4. 2- Precisavam fazer seguimento dos voluntários muito de perto, ligavam com antecedência pra confirmar, agradeciam muito aos que íam, etc. (Ale Parra)

2.2.2. 3- Começar pré-campanha o quanto antes para começar a engajar voluntários e conhecer os diferentes perfis

2.2.3. 4- Criar essa rede de voluntários e engajá-los com antecedencia é importante para deixá-los sintonizados com as mensagens e as pautas da campanhas, assim não dá tanto trabalho a gestão dos voluntários depois.

2.2.4. 8- (pessoas difíceis de lidar)

2.2.4.1. 8- Rafael (Monica) - Nos EUA eles usam plafatormas para dar treinamento ao longo do processo

2.2.4.2. 8- Voluntário problema: -alinhar expectativa -dar feedback -saber desligar

2.2.5. 10 e 4 - Processo definido pelo Atados

2.2.5.1. I. alinhamento de expectativa > qual a demanda e traduzir em convite/vaga

2.2.5.2. II. estabelecer engajamento, alinha expectativa, fazer ser produtiva > se sentir empoderada, ter todas as ferramentas, capacitações…

2.2.6. 12- Organizar as pessoas em vagas antes da chegada dos voluntários.

3. Momentos

3.1. Pré-campanha

3.1.1. Planejamento equipe interna

3.1.1.1. A hora H é mais duro, quando eles já estão trabalhando, mas um período mais importante é o período de planejamento, de montar base, criar cultura de voluntariado e capacitar a equipe.

3.1.2. Inicio trabalho com voluntários

3.1.2.1. Rafael (Monica)

3.1.2.1.1. Dá pra começar o trabalho com voluntários um pouco antes de ter um macro planejamento da campanha fechado, só precisa ter a mensagem minimamente definida.

3.1.2.1.2. Com a Monica, começaram com uma reunião aberta em Julho, quando começaram a juntar interessados pra serem voluntários.

3.1.2.2. André (gabinetona)

3.1.2.2.1. No período da campanha é mais fácil de sensibilizar. Quanto antes do período eleitoral é mais difícil, devido a falta do senso de urgência

3.2. Campanha

3.2.1. É o período mais duro, mas depende de como foi o planejamento

3.2.2. Ale Parra - Campanha, principalmente o GOTV

3.3. Pós-campanha

3.3.1. Como encerrar um período tão intenso, emocional, importante pras pessoas. Msg de agradecimento? Um relatório básico? Parabéns, valeu galera, a gente se vê em dois anos?

4. Como trazer e engajar?

4.1. Reunião/evento presencial > lista de presença > contato online

4.1.1. Reunião/evento presencial

4.1.1.1. discussão aberta em local público

4.1.1.2. educação política e fiscalização do poder público

4.1.1.3. evento da candidatura

4.1.1.3.1. Adicionar num grupo do facebook

4.1.2. contato online

4.1.2.1. Adicionar num grupo do whatsapp

4.1.2.1.1. dificuldade de migrar de lista de emails pra grupos no whatsapp, por falta de contatos do whatsapp

4.1.2.1.2. Risco de bloqueio quando se manda mensagem pra alguém que não quer receber

4.1.2.2. enviar email

4.1.2.3. grupo de emails

4.1.3. alocar pessoas em funções específicas / grupos de trabalho

4.1.4. Identificar quem tem habilidades específicas

4.2. Chamada oficial

4.2.1. André (gabinetona)

4.2.1.1. Fizeram uma chamada 15 dias antes de começar o período de campanha de 45 dias

4.2.1.2. Não pode trabalhar com voluntários antes do período de campanha devido ao risco abuso de poder econômico, mesmo sendo doação de trabalho.

4.2.2. Perguntar as habilidades de cada um

4.2.3. ter começo, meio e fim

4.3. Processo estruturado (Atados): Chamada > Captação > Engajamento/Coordenação

4.3.1. Campanhas tem dois tipos de vaga: de estrutura e de mobilização

4.3.2. Criar vagas

4.3.2.1. Por que e para que preciso de voluntários?

4.3.2.2. Qual perfil de voluntários eu preciso?

4.3.2.3. Estruturar um processo

4.3.3. Captar voluntários

4.3.3.1. Abrir vaga/chamada

4.3.3.2. Mobilizar voluntários

4.3.3.3. Gerenciar vaga

4.3.3.4. Entrar em contato com rapidez!

4.3.4. Coordenar voluntários

4.3.4.1. Capacitar (reunião boas-vindas)

4.3.4.2. Acompanhar

4.3.4.3. Celebrar (volunteering must be fun!)

4.4. Site com inscrição permanente

4.4.1. Formulário: -dados pessoais básicos -como poderia ajudar: o que tem (material, equipamento, etc), o que sabe fazer

4.4.2. alimentava base de dados do Mailchimp

4.5. Não é difícil atrair voluntários, o difícil é gerenciar

4.6. Como engajar

4.6.1. Desenvolvimento com engajamento: quando há relação de troca, existe um legado e um aprendizado para ambas as partes, tornando a relação mais duradoura

4.6.2. Impacto Social: projetos que realizam transformação social se perpetuam pelo envolvimento dos participantes

4.6.3. Troca Genuína com Público Final: relação de igualdade estabelecida, em que o voluntário dá e também recebe

4.6.4. Interação entre Voluntários: integração entre pessoas que acreditam em causas em comum é essencial para o engajamento a longo prazo e maior impacto das ações

5. Gestão

5.1. Responsável pela Gestão dos Voluntários

5.1.1. Se for uma pessoa muito distante do candidato, ela está alheia aos assuntos, urgência, importância. Deve ter boa percepção, organização. Precisa ficar atenta aos GTs, pra manter o engajamento, motivação. Deve estar se conectando aos voluntários tanto online, quando offline.

5.1.2. Rafael (Monica) - "Tinham coordenadores de mobilização e além disso, o Rafa fazia a ponte entre online e offline (ajudava com dados dos voluntários, comunicação, etc)"

5.1.3. Quando entrou melhorou bastante

5.2. O que rola na prática

5.2.1. Mobilização virtual: articulação de atividades em massa nas redes

5.2.1.1. preencher pesquisa X no link xxxx

5.2.1.2. lançar uma hashtag em massa numa hora tal

5.2.1.3. fazer bombar um assunto X numa hora tal

5.2.1.4. ajudar a divulgar um evento

5.2.2. Agenda candidato: comunicavam nos grupo de voluntariados (whatsapp) e nas redes sociais abertos

5.2.3. Ativação da rede para eventos/atividades pontuais

5.2.3.1. Rafael Rezende

5.2.3.1.1. Contato: ligavam ou mandavam email via mailchimp

5.2.3.1.2. Confirmação: no email tinha um link pra um google form pra confirmarem ou dar certas informações

5.2.3.1.3. Presença: seria ideal conseguir confirmar quem foi no evento / fez a atividade

5.2.4. Escuta Ativa: voluntários ajudavam a monitorar o que estava sendo dito nas redes (sobre o candidato e concorrentes)

5.2.5. Divisão dos voluntários em grupos por temática/especialidade

5.2.6. Conectar demandas de atividades com quem pode/sabe fazer

5.2.6.1. Rafael (Monica): Tinham grupos de telegram pra linkar demandas de atividades para voluntários com voluntários que podem faze-las -> tipo um tinder de voluntários x demandas

5.2.7. Apoio na captação de recursos

5.2.7.1. Voluntários atuam como "Polinizadores"

5.2.7.2. Ale Parra - Os voluntários ajudavam as vezes em trabalhos como fazer ligações para potenciais doadores, trabalho administrativo, etc.

5.2.8. Identificar os voluntários com maior nível de engajamento e dar a elas maior acesso a ferramentas

5.2.8.1. Nível de acesso está relacionado ao nível de confiança no voluntário

5.2.9. Ao longo da campanha foram surgindo grupos organicamente de voluntarios que não foram criados por ninguém da equipe

5.3. Recomendações

5.3.1. Ter voluntários "coringa"?

5.3.1.1. O ideal é não ter o voluntário coringa e sim um voluntário de produção, que vai fazer 7 eventos, 1 por semana. E se der pra planejar o que a pessoa vai efetivamente fazer, é melhor, pra alinhar expectativas.

5.3.1.2. O que dá pra fazer é ter voluntários que cuidam de voluntários. Melhor que ter como coringa, é ter responsável por uma frente que vc não tá dando conta.

5.3.2. Como identificar quem é mais engajado

5.3.2.1. Fazer tipo um processo seletivo e identificar como as pessoas respondem: parágrafos grandes indicam um super engajamento.

5.3.3. Como capacitar os voluntários

5.3.3.1. Fazer reunião inicial: -Explicar o projeto e o propósito -Criar interação entre os voluntários -Criar grupo no whatsapp -Abrir pra perguntas e sugestões -Lista de presença -Lanche ->Deixar claro a tarefa e o prazo do voluntário

5.3.3.2. Ale Parra

5.3.3.2.1. A sessão de introdução cumpriam um pouco esse papel. Isso é muito importante para gerar sensação de cuidado, agradecimento, pertencimento, espaços de escuta, de integração.

5.3.3.2.2. Depois, no início dos períodos importantes do processo eleitoral (coleta de assinaturas, campanha, último mês, etc) faziam reuniões grandes de check-in com os voluntários.

5.3.3.2.3. Além disso, dependendo da área haviam capacitações específicas, como audio-visual com a equipe de audio-visual, de rua com o pessoal de território (nem q fosse algo bem simples pra explicar quem é o candidato e pra alinhar a mensagem).

5.3.3.2.4. Fizeram também pequenos manuais que enviavam via whatsapp pros voluntários. Ex: como coletar uma assinatura.

5.4. Desejos/ideias

5.4.1. Rafael (Monica)

5.4.1.1. Queriam criar emails automatizados de acordo com a jornada do voluntário (boas-vindas, reunião, etc)

5.4.1.2. Voluntários de territorios/panfletagem -> ferramenta de mapas em que a pessoa marcaria pontos onde fez panfletagem, pra depois formar um mapa de calor

5.4.1.3. ter várias tags pra ir segmentando os voluntários

5.4.1.4. o voluntário ter um lugar pra registrar todas as atividades que ele fez num dia

6. Ferramentas

6.1. Grupos no Whatsapp

6.1.1. ideia: funcionalidade de mandar mensagem (ou apenas iniciar o envio via clickToChat) pra uma ou mais pessoas através da Liane

6.1.1.1. convidar pra grupo

6.1.1.2. dar boas-vindas

6.1.1.3. mandar manual de capacitação

6.1.1.4. chamar pra algum evento

6.1.1.5. pedir ajuda pra ação massiva online

6.2. Redes sociais (pra atrair)

6.3. Lista de emails

6.4. Site com form de inscrição

6.5. Grupos no Facebook

6.6. Telegram

6.7. Trello

6.8. Google Agenda

6.9. Google Drive

6.10. Slack

6.11. telefone

6.12. Atados

6.12.1. Site Atados

6.12.2. Planilha - Gerenciamento de Voluntários